Deputado federal Marx apela por vacinação mais rápida no Brasil durante reunião na Câmara.

 

Deputado federal Marx apela por vacinação mais rápida no Brasil durante reunião na Câmara.

Marx apela por vacinação mais rápida no Brasil durante reunião na Câmara

 

O deputado federal Marx Beltrão cobrou durante reunião da Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) da Câmara dos Deputados um “um trabalho real de vacinação em massa por parte do Ministério da Saúde (MS) que possa imunizar a sociedade brasileira por completo, por que esta é a forma mais efetiva para se combater a transmissão da Covid-19”. A Comissão, uma das mais prestigiosas da Câmara e da qual Marx é membro, é a que trata das questões referentes ao tema da Saúde no Congresso Nacional.

“Falta de dinheiro não é. Não é falta de recursos. É burocracia e demora. E tem vacinas de outros países que já poderiam estar sendo usadas no Brasil. Este cenário de atraso na vacinação em todo o país, por falta de vacinas, é inaceitável. A pandemia está avançando e o novo ministro da Saúde precisa intensificar estes esforços em todo o país”, cobrou Marx Beltrão.

“Estamos trabalhando muito nesta Câmara para a aprovar todas as medidas para a compra de vacinas. Precisamos ampliar o trabalho de vacinar toda a população. Mas neste ritmo que estamos, vamos demorar anos para vacinar toda a sociedade. A maioria dos estados nem vacinou 10% de sua população. A vacinação precisa avançar com rapidez. É a única forma de vencermos a pandemia e salvarmos milhares de vidas. Por isso, proponho nesta Comissão a formação de um grupo de trabalho focado nesse objetivo, criando soluções e acompanhando as ações para da celeridade à imunização da nossa gente” disse Marx Beltrão durante a audiência da CSSF.

Coronavac

Na última terça-feira (16), o Ministério da Saúde informou estar distribuindo mais 4.558.420 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 produzida no Brasil pelo Instituto Butantan. O novo lote seria destinado para vacinar idosos entre 75 e 79 anos e trabalhadores da saúde. A previsão era de que as entregas ocorressem a partir de terça-feira (16/03) e se estendessem pela quarta (17/03), de forma proporcional e igualitária a todas os estados e Distrito Federal.

A nova remessa de vacinas do Butantan corresponderia à entrega de duas doses, sendo necessário que estados e municípios fizessem a reserva da segunda dose para garantir que o esquema vacinal seja completado no período recomendado pelo laboratório, de 2 a 4 semanas.


 

Site Revista do Luiz