Forças de segurança vão escoltar distribuição da vacina contra a Covid-19 em Alagoas.

 

Forças de segurança vão escoltar distribuição da vacina contra a Covid-19 em Alagoas.

Os detalhes da logística foram divulgados nesta segunda-feira (18); transporte contará com as aeronaves do Grupamento Aéreo. 

 

 

As vacinas que vão garantir a imunização da população alagoana contra a Covid-19 serão transportadas de forma ágil e segura pelas forças de segurança do estado. Os detalhes da logística foram divulgados nesta segunda-feira (18). O transporte será realizado por meio das aeronaves do Grupamento Aéreo. Segundo o secretário da Segurança Pública, Alfredo Gaspar de Mendonça, o governador Renan Filho determinou que as forças de segurança atuem diretamente na distribuição das doses de vacina aos municípios alagoanos. 

Caberá à Segurança Pública, neste primeiro momento, a escolta do lote de vacinas entre o Aeroporto Zumbi dos Palmares, na noite desta segunda-feira, até o prédio do Programa Nacional de Imunização (PNI), localizado no bairro do Farol, em Maceió. A ação contará com equipes da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal (PRF). 

“Nós vamos iniciar amanhã [terça-feira, 19] a distribuição das doses para todo o estado utilizando nossas aeronaves para garantir ainda mais segurança e agilidade na imunização dos alagoanos”, garantiu. 

O secretário explicou que os pontos de vacinação contarão com vigilância permanente das forças de segurança e que haverá efetivo de prontidão tanto em Maceió, quanto em Arapiraca para realizar o transporte das doses até os locais onde haverá vacinação em Alagoas. 

Em entrevista coletiva no Aeroporto Zumbi dos Palmares, o governador Renan Filho destacou que o processo de imunização da população deverá levar alguns meses, devido à demanda de todo o país. Neste primeiro momento, Alagoas recebeu 71.080 doses da vacina, que serão destinadas prioritariamente aos profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19, aos indígenas e aos idosos acima de 75 anos que residem em abrigos. 

“A expectativa é que a gente passe, a partir de agora, a receber vacinas com regularidade. Espera-se que a Fiocruz e o Instituto Butantan produzam entre 100 e 150 milhões de doses no Brasil pelos próximos quatro meses”, disse o governador. “A chegada da vacina é um alento. É uma esperança, porque é o principal caminho para que a gente possa voltar à normalidade”.

 

Site Revista do Luiz