Crimes eleitorais têm queda de 16,1% em Alagoas, apontam dados da Segurança Pública.

 

Crimes eleitorais têm queda de 16,1% em Alagoas, apontam dados da Segurança Pública.


 

A Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL) contabilizou 52 crimes eleitorais em 32 municípios do estado, cometidos no último domingo (15), quando ocorreu a votação para escolha de prefeitos e vereadores. Em comparação com os dados das eleições de 2018, houve uma queda de 16,1% nas ocorrências. Os dados foram apresentados pela cúpula da Segurança em coletiva de imprensa, realizada nesta terça-feira (17).

Apesar de as eleições municipais serem, historicamente, mais preocupantes para a Segurança Pública, o pleito de 2020 apresentou redução no número de crimes eleitorais em comparação com as eleições de 2018. Durante o 1º turno das presidenciais, há dois anos, a SSP registrou 62 denúncias, já em 2020, 52 crimes foram contabilizados, o que aponta uma redução de 16,1%. De acordo com os números, o interior de Alagoas concentrou o maior número de crimes, totalizando 43 casos. Já a Região Metropolitana de Maceió, contabilizou nove crimes eleitorais no dia da votação.

Dos 52 crimes eleitorais praticados, 14 foram boca de urna, nove de compra de votos, oito de transporte de eleitores, sete de impedimento ou embaraço ao exercício do voto, três crimes de concentração de eleitores e outras 11 ocorrências.

Os municípios de Joaquim Gomes, Major Isidoro, Anadia e Maceió registraram, cada uma deles, três ilícitos. Já Piaçabuçu, Paulo Jacinto, Teotônio Vilela, Arapiraca, Coruripe, Delmiro Gouveia, Igaci, Junqueiro, Maribondo, Olho D’Água das Flores, Pão de Açúcar, Pilar e São Miguel dos Campos registraram cada um, dois crimes.

Olivença, Atalaia, Barra de São Miguel, Colônia Leopoldina, Coqueiro Seco, Flexeiras, Marechal Deodoro, Monteirópolis, Palmeira dos Índios, Penedo, Santa Luzia do Norte, Santana do Ipanema, São Brás e Viçosa, registraram uma ocorrência em cada município durante as eleições de 2020. Por meio do 181, foram realizadas 145 denúncias no último domingo, sendo 131 relacionadas a ilícitos eleitorais, cinco solicitando a presença policial, quatro ligações sobre tráfico, uma denunciando homicídio e outros quatro contatos sobre outros crimes.

Segundo as estatísticas, três homicídios foram cometidos dia 15, mas nenhum deles possuem ligação com as eleições. No pleito eleitoral de 2018, três crimes contra a vida também foram praticados, sendo dois homicídios e um feminicídio, que também não tiveram relação com a corrida eleitoral.

Ao todo, mais de 7.300 policiais civis e militares, bombeiros militares e peritos foram empregados no reforço policial em todos os 102 municípios alagoanos.

 

 

 

 

Site Revista do Luiz