Capital Avança para fase amarela, com reabertura de shoppings, igrejas e Restaurantes.

Capital avança para fase Amarela, com reabertura de shoppings, igrejas e restaurantes



As regiões metropolitana de Maceió e Norte de Alagoas irão mudar para as fases amarela e laranja, respectivamente. Com isso, será permitida, na capital, a abertura das lojas ou estabelecimentos de rua com até 400 m², shoppings, galerias, centros comerciais, templos, igrejas, bares e restaurantes. O anúncio foi feito nesta terça-feira (14) pelo governador Renan Filho e pelo secretário de Saúde, Alexandre Ayres, durante entrevista on-line à imprensa.
“A Matriz de Risco estuda as dez regiões de saúde de Alagoas, que é constantemente avaliada para balizar as fases e indica se é possível avançar ou retroceder. Houve um avanço na região de Maceió e agora orientamos que avancemos para a área amarela na capital e na segunda região de saúde, que vai da Barra de Santo Antônio até Maragogi, para a fase laranja”, afirmou Ayres.

O novo decreto com a mudança de fase, de acordo com o Plano de Distanciamento Social Controlado com base na Matriz de Riscos, será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE). Na região metropolitana liberados ainda o transporte intermunicipal e turístico, que só poderão funcionar com 50% da sua capacidade.
Indicadores
O Secretário de Estado do Planejamento Gestão e Patrimônio, Fabrício Marques fez a apresentação da Matriz de Risco e os indicadores com os pontos de corte, sempre avaliando a última semana epidemiológica, que fechou no dia 11.
Sobre a taxa de ocupação de leitos com respiradores, Marques mostrou uma ampliação de oferta, que seria a classificação em bandeira azul. O governador também destacou a redução de ocupação não só na capital, como no interior.
“Para o estado, a evolução do número de óbitos na última semana teve 97 mortes e essa foi a que apresentou o menor número e de forma sistemática, houve uma redução constatada já há sete semanas.  Já Maceió teve o menor número de óbitos das últimas 11 semanas, caindo de 100 mortes para 33”,

Site Revista do Luiz

,