MPT comprova que Samu Alagoas disponibiliza EPIs para todos os funcionários


MPT comprova que Samu Alagoas disponibiliza EPIs para todos os funcionários.

Procurador Rodrigo Alencar constatou que não há ausências dos equipamentos para os profissionais 

  O secretário Alexandre Ayres reforçou que o Samu está abastecido com todos os EPIs exigidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde (MS)

  O secretário Alexandre Ayres reforçou que o Samu está abastecido com todos os EPIs exigidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde (MS)

Todas as unidades geridas pela Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) possuem Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessários para proteger os profissionais que trabalham diariamente no combate à Covid-19. Essa e outras medidas foram apresentadas pelo secretário da Saúde, Alexandre Ayres, ao Ministério Público do Trabalho (MPT) nessa terça-feira (21). O procurador do Trabalho Rodrigo Alencar afirmou que verificou, in loco, que os EPIs estão à disposição dos servidores do Samu Alagoas (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).
O procurador do Trabalho Rodrigo Alencar, que informou que esteve nas dependências do Samu Alagoas e constatou que os EPIs estão à disposição dos servidores. “Verificamos que o Samu possui os EPIs necessários e que seguem as recomendações da Anvisa para os atendimentos que estão sendo feitos aos pacientes com suspeitas ou confirmados de Covid-19”, disse o procurador.
O secretário Alexandre Ayres reforçou que o Samu está abastecido com todos os EPIs exigidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde (MS). Os equipamentos e materiais estão sendo distribuídos para todos os profissionais da assistência, a exemplo de condutores socorristas, médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem que compõem as equipes das Unidades de Suporte Básico (USBs) e as Unidades de Suporte Avançado (USAs). “A Sesau sempre priorizou a segurança dos trabalhadores”, destacou Ayres.
Os EPIs utilizados para o atendimento de pacientes com a confirmação ou com suspeita de Covid-19 são luvas, botas, máscara cirúrgica e máscara N-95, óculos, touca, avental e protetor facial. Os profissionais que atuam no setor de higienização também utilizam os mesmos EPIs no momento em que vão fazer a limpeza e desinfecção das viaturas, após cada ocorrência atendida.
  
“Tivemos uma audiência proveitosa com todos os envolvidos em encontrar soluções em conjunto. Percebemos que a Sesau está empenhada e deixou claro que não mede esforços para proteger o trabalhador na luta contra o coronavírus”, declarou o procurador Rodrigo Alencar.
*Adicional de insalubridade*
Ainda na audiência, o secretário Alexandre Ayres garantiu que nenhum servidor do Samu e de nenhuma outra unidade de saúde ligada à Sesau terá o adicional de insalubridade cortado em caso de afastamento médico por Covid-19. “Essa situação já havia sido comunicada aos sindicatos e ficou definido que os servidores vão receber a remuneração de maneira integral, sem cortes na insalubridade por causa de afastamento decorrente de contaminação por coronavírus”, confirmou.
Também foi definida a criação de uma comissão com membros da Sesau, dos sindicatos e do MPT/AL para ampliar o diálogo sobre a segurança dos servidores durante a pandemia. Estiveram presentes na audiência o secretário Executivo de Ações em Saúde da Sesau, Marcos Ramalho, a supervisora-geral do Samu, Josileide Silva, integrantes do Conselho Estadual de Saúde, do Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social e Trabalho no Estado de Alagoas (Sindprev), do Sindicato dos Médicos de Alagoas e do Sindicato dos Enfermeiros de Alagoas.

 


Site Revista do Luiz

,